Hidromel

Fermentação primária e secundária: Qual a diferença?

Fermentação em atividade!

Bem vindos hidromeleiros!! Cada vez que falo com mais pessoas sobre o tema sinto que ainda existe confusão sobre esse assunto que é de extrema importância para a produção de nossos néctares artesanais.

Fermentação secundária ainda é confundida com segunda fermentação ou é pensada como desnecessária, ou ainda, na pressa por terminar logo a clarificação acaba-se passando por cima dessa importante etapa e não é bem por aí.

Partindo do princípio: Fermentação primária.

Continue lendo “Fermentação primária e secundária: Qual a diferença?”

Hidromel

Dicas para o primeiro hidromel!

Olá a todos! Tenho acompanhado várias pessoas que tem nestes últimos dias dado o seu primeiro passo na produção de hidromel, colocando sua primeira leva para fermentar. E existe um caminhão de dúvidas que pairam sobre a cabeça do indivíduo quando ele vai fazer seu primeiro néctar.

Para tentar ajudar esses jovens Padawans do mundo dos fermentados resolvi fazer esse post com as dúvidas mais comuns. Quem sabe possa ajudar. Mas antes um aviso, produzir sua própria bebida é um caminho sem volta. Uma vez que fizer seu próprio néctar não vai parar nunca mais.

Quero fazer hidromel, por onde começo? 

Continue lendo “Dicas para o primeiro hidromel!”

Hidromel

Trocando oxigênio por azeite de oliva?

Olá a todos!

Azeite de Oliva – Ácidos Graxos!

Um assunto que é polêmico e que coloca muita gente do mundo das fermentações com um pé atrás é o uso de azeite de oliva como substituto do oxigênio no mosto. Talvez pela falta de estudos sobre o assunto ou mesmo de pessoas que coloquem a cara a tapa para mostrar se a coisa realmente funciona ou não, o pessoal ainda não se encorajou para os testes e possível adoção do método.

Necessidade de oxigênio.

Primeiro, porque temos que aerar o mosto no início de nossa fermentação? Porque o oxigênio é extremamente importante para o processo de construção da parede celular e  crescimento das leveduras, tanto em quantidade como em qualidade. Mais específicamente as leveduras usam o oxigênio para produzir os esteróis e ácidos graxos necessários ao seu ciclo de reprodução.

Oxigenar o mosto de hidromel não é uma tarefa fácil pois o mosto de hidromel tem dificuldade em incorporar oxigênio e existe uma alta demanda de oxigênio para a fermentação do hidromel. Essa demanda é de 10-12ppm (partes por milhão) de oxigênio no mosto.

Continue lendo “Trocando oxigênio por azeite de oliva?”

Hidromel

Minha fermentação parou! E agora?

Olá a todos e bem vindos novamente ao Pompeia Hidroméis!

Calma! Podemos ter a solução para seu hidromel!

Você seguiu todos os passos ao preparar o mosto: Limpou e sanitizou todos os utensílios, fermentador e absolutamente tudo o que iria entrar em contato com o mosto, você tomou os cuidados necessários e reidratou as leveduras adequadamente, vedou bem o seu fermentador e o colocou em um local arejado ou mesmo tomou o cuidado de o colocar em um ambiente com temperatura controlada, o seu hidromel começou a fermentar você já fazia planos para ele e de repente sem “mais nem menos” ele parou a fermentação e foi muito, mas muito antes da hora. E agora?

O que aconteceu não é uma coisa tão rara e que pode ter diversos fatores causadores e para a nossa sorte, pode sim, ter como  reiniciar a fermentação travada. Nós já havíamos falado aqui no blog sobre outros problemas que podem acontecer na fermentação do seu hidromel mas esse merece uma atenção especial.

Possíveis causas da fermentação parada:

Continue lendo “Minha fermentação parou! E agora?”

Receitas

Sangue Viking (Viking Blod) – Hidromel de personalidade.

hopsFaz tempo que estava fuçando sobre esta receita e agora acredito ter encontrado uma que faz bastante sentido. A receita de “Sangue Viking” é bem tradicional na Europa, é mais encorpada, alcoólica que a maioria das receitas e é doce! É um hidromel de personalidade marcante do início ao fim e introduz algumas coisas interessantes no nosso mundo de produtos artesanais de hidromel: Uso de Lúpulo e ervas aromáticas. Continue lendo “Sangue Viking (Viking Blod) – Hidromel de personalidade.”

Hidromel

Estilos de Hidromel

Estilos de Hidromel
Image
Existem muitos nomes diferentes para Hidromel. E claro podem, eu disse podem, significar a mesma coisa. Mas em geral não significam. O conceito geral de Hidromel é: bebida fermentada constituída de água e mel. Isso chama-se hidromel tradicional, mas e se eu adicionar um pouco de frutas durante a fermentação, como eu chamaria este hidromel? Hidromel com frutas? Pode até ser, mas para cada conjunto de ingredientes existem alguns nomes convencionados que ajudam a definir melhor os estilos e os produtos que podemos encontrar no mercado. Vamos aos mais tradicionais:

Tradicional: Geralmente é o Hidromel “puro”, ou seja água e mel apenas. Nos EUA é chamado também Show Mead, para fins de competição principalmente.
Sack Hidromel: É um hidromel tradicional só que uma quantidade maior de mel do que o tradicional, resultando obviamente em um hidromel mais alcoólico e intenso e geralmente adocicado.
Melomel: É o Hidromel que teve frutas adicionadas à receita. As frutas emprestam cor, sabor e aromas à composição.
Cyser: Hidromel que utiliza, maças ou suco de maçãs em sua composição.
Pyment: Hidromel feito com uvas ou suco de uvas, também pode ser um vinho que teve mel adicionado antes da fermentação ou foi adoçado com mel.
Hippocras: É um pyment que teve adicionado temperos.
Metheglin: Hidromel elaborado ou aromatizado com ervas e/ou temperos.
Braggot ou Bracket: Hidromel com a adição de cereais maltados na receita.
Rhodomel: é o termo Romano para hidromel aromatizado com pétalas de rosas.
Morat: Termo usado para descrever o Melomel de Amoras
Capsicumel ou capsimel: Hidromel aromatizado com pimentas.

Existem inúmeros termos para definir os muitíssimos tipos de hidromel existentes, pois para fazer hidromel a única limitação é a criatividade da pessoa que criou as receitas. E isso é umas das coisas mais interessantes em produzir hidromel. Pode-se criar muitas variações usando-se praticamente todos os ingredientes imagináveis! Um brinde a todos!

Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidromeis