Entrevista – Hidroméis Arven

Olá a todos! Hoje temos aqui uma entrevista com os produtores de hidromel da empresa Arven hidroméis!

WhatsApp Image 2019-10-14 at 13.05.25Nascida de um sonho por criar um empreendimento, em 2015, os amigos Vinicius Molina e Ignácio Carósio, acabaram escolhendo o hidromel por ser uma bebida com força cultural e pelo potencial de um mercado ainda inexplorado. Já que ainda não tinha nada, ou ainda apenas algumas poucas marcas, resolveram colocar os fermentadores em teste e iniciar a  produção profissional da bebida.

E apesar da percepção de que o mercado ainda não conhece o tal do hidromel, eles investem no marketing nas redes sociais e em conteúdo diferenciado no site da marca e já dizem: “percebemos uma incrível mudança de quando começamos em 2015“. É o mercado de hidromel incipiente no país dando as caras meu amigos…

Quando perguntados sobre o porque do nome “Arven” para sua empresa eles me devolvem uma pergunta, que talvez seja a real motivação para a escolha do nome: “Como chamar uma bebida que possui mais de 10 mil anos de idade, que já esteve presente nas principais civilizações da história?…  …Arven significa “Legado” em diversas línguas nórdicas e nós da Arven acreditamos que não existe palavra melhor para representar o espírito desta bebida“.

WhatsApp Image 2019-10-14 at 13.05.25 (1)Para fazer com que os hidroméis cheguem a mais clientes eles não medem esforços “Oferecemos frete grátis nos pedidos de kits, descontos em diversas datas do ano e buscamos parceiros que apostam em bebidas novas e diferentes para seus clientes” e tem visto o hidromel ser muito bem recepcionado pelos clientes e usando garrafas menores conseguem oferecer uma maior variedade de hidroméis para os clientes e também facilita que estes comprando a garrafa por um preço menos tenham a possibilidade de comprar mais hidroméis. E ainda sobre o nosso imaginativo público consumidor e as diferentes maneiras de consumir hidroméis eles mesmo contam que tem um blog, onde incentivam diferentes usos em pratos e drinks, mas o público está sempre a frente em criatividade e já observaram alguns usos curiosos de seus hidroméis com “geléias, sobremesas, molhos e até na salada”.

E por falar nas variedades produzidas, dos 5 rótulos que comercializam 4 são de receitas com adjuntos especiais que vão do carvalho a cascas de laranja, limão siciliano, pimenta habanero e mais, e um deles é um hidromel tradicional. Em um passado recente já tiveram também edições exclusivas onde comercializaram um melomel de morango e um cyser! E sempre temos que fazer aquele pergunta, onde queremos que os pais da criança escolhem entre um dos filhos: “Gostamos muito de todos, mas talvez nosso favorito seria o Berrfott. O sabor da madeira é delicioso, lembra whiskey e a combinação com pimenta é incrível“.

Os jovens Arvianos também destacam a importância de concursos de hidromel pois “este tipo de ação aumenta a credibilidade da bebida e o seu conhecimento com o público“. E sempre falamos sobre os concursos de hidromel e outras bebidas aqui no site e o que vemos é que estes concursos tem alavancado imensamente a qualidade das produções, bem como tem minerado grandes talentos que acabam cedo ou tarde ingressando na indústria e criando produtos fantásticos. E eles ainda foram premiados no ano passado na II Copa Kylix de Hidromel que aconteceu em Curitiba. Levaram a medalha de ouro entre os profissionais! “Vencer a competição ano passado foi muito legal e inesperado… … Foi muito bom obter este reconhecimento pelo trabalho feito além de receber o feedback dos jurados, o que nos ajuda a melhorar ainda mais“. Todos esperamos meus caros, quanto mais hidromel bom melhor para o mercado!

WhatsApp Image 2019-10-14 at 13.05.27Dos hidroméis que existem por ai os inesquecíveis para os Arvianos foram dois: “um melomel chamado Freyja feito com frutas vermelhas e com leve carbonatação muito equilibrado e com aroma inesquecível” e “um hidromel tradicional seco francês, produzido por Alain Laperrousaz“. E hidroméis inesquecíveis ainda fazem que, mesmo com toda a correria do trabalho de venda e comercialização dos hidroméis de linha ainda tenham tempo e vontade de testar novos produtos nos fermentadores caseiros “Uma das nossas maiores surpresas foi um melomel de abacaxi que possuia muita personalidade e ‘brasileiraridade’“. Quem sabe em breve não encontramos uma versão desse carinha nas garrafas, hein?

Eles acreditam também que a produção caseira é sempre um grande catalisador de novos talentos e que destes muitos acabam procurando se formalizar e se transformar de fato em indústria para crescer corretamente e com segurança! E isso tanto teve importância na vida deles que “As inspirações para nossos produtos e as técnicas que utilizamos acabaram vindo da nossa própria experiência e estudos com a bebida” mostrando uma veia fortemente autodidata sobre os hidroméis”, e apesar de procurarem seguir a tendência de grandes nomes como Melovino e Moonlight sentem a falta de diversidade para comprar e provar aqui no nosso país!

É isso, desejamos vida longa a Arven Hidroméis e que possam ainda trazer muitos grandes produtos para o mercado brasileiro.

Abaixo segue e entrevista na íntegra e para quem ler tuuuuudo tem uma surpresa no final, oferecida cortesmente pela Arven”

Um abraço a todos e boas fermentações

Luis Felipe de Moraes – Pompéia Hidroméis.

Entrevista na íntegra.

1 – Nos conte um pouco sobre a sua história em relação aos hidroméis e como a Arven Hidroméis surgiu.

Atualmente a Arven tem dois sócios, Vinicius Molina, químico e Ignácio Carósio, publicitário. Amigos e entusiastas em bebidas artesanais, sempre pensamos numa forma de abrir nosso próprio negócio.

Por volta de 2015, tínhamos interesse em produzir cerveja artesanal, mas no mesmo período tivemos contato com uma matéria sobre hidromel. Ficamos instigados com a bebida, toda a sua cultura e potencial, mas quando fomos procurar para comprar percebemos que não existiam produtos no mercado brasileiro.

Começamos a pesquisar sobre os métodos de fabricação e uma das primeiras fontes de informação, claro, foi o site Pompeia Hidroméis que nos ajudou bastante no começo.

A partir daí vimos o hidromel como uma oportunidade para empreendermos numa empresa própria e começamos a estudar mais e testar muitos métodos e ingredientes.

2 – Porque o nome Arven e o que ele significa?

Como chamar uma bebida que possui mais de 10 mil anos de idade, que já esteve presente nas principais civilizações da história? Algo que já esteve nas mesas de Gregos e Romanos; apreciado por Chineses a séculos atrás e adorado pelos Vikings.

Uma bebida que muito provavelmente foi a primeira bebida alcoólica que a humanidade teve contato. Lá atrás, quando o homem ainda era nômade e o acompanhou por toda sua jornada até os dias de hoje.

Arven significa “Legado” em diversas línguas nórdicas e nós da Arven acreditamos que não existe palavra melhor para representar o espírito desta bebida.

3 – Como foi entrar no mercado com produtos tão pouco conhecidos pelo brasileiro?

Esta é a maior dificuldade. Como não temos capital para investir em divulgação de forma mais agressiva, trabalhamos nossas redes sociais e site com conteúdo que possa atrair a atenção e instigar a curiosidade nas pessoas.

O conhecimento que as pessoas têm com o hidromel ainda é pequeno, mas já percebemos uma incrível mudança de quando começamos em 2015. Com a entrada de outros produtores e pessoas que querem fazer este mercado funcionar, estamos confiantes que o hidromel continuará  ganhando destaque e estamos prontos para este crescimento do mercado.

4 – Como você está inserindo este produto no mercado e qual a percepção que o público tem tido sobre o produto apresentado? E porque escolheram a garrafa de 355ml? Há um motivo especial para essa escolha?

Buscamos divulgar nossos produtos nas redes sociais com a mesma qualidade que grandes marcas fazem. Oferecemos frete grátis nos pedidos de kits, descontos em diversas datas do ano e buscamos parceiros que apostam em bebidas novas e diferentes para seus clientes. As pessoas têm adorado os hidroméis e normalmente gostam de quase todos os sabores.

Quando planejamos a Arven percebemos que não  seria um produto tão barato, principalmente por causa do custo do mel e pelo tamanho da produção que teríamos inicialmente. Oferecer nossos hidroméis em garrafas menores resolveu vários problemas de produção e faz o produto mais acessível em valor. Resultando em uma embalagem que gostamos muito e que foi bem recebida por nossos clientes.

Uma garrafa menor facilita a compra para aqueles que não conhecem hidromel mas tem interesse em provar. E como sempre estamos pensando em novos sabores, ajuda nas vendas de kits para nosso público.

5 – Quais são os hidroméis que vocês produzem atualmente? Já existem novos produtos no horizonte?

Atualmente trabalhamos com Solur (hidromel tradicional seco), e temos também uma linha de quatro produtos saborizados com ingredientes selecionados e naturais. O Calmaria, feito com hidromel e cascas de laranja e de limão siciliano. O Berrfott, onde carvalho francês e pimenta habanero fazem parte da receita. O Insônia, feito com hidromel e café. E o Silvestre que possui  erva doce e cascas de laranja. Todos são hidroméis mais secos, com exceção do Silvestre que está mais para um semi-seco.

No passado já fizemos edições limitadas, uma de morango chamado Morana e outro de maçã com o nome de Mazã. Temos planos de lançar futuramente mais edições limitadas de novos sabores.

6 – Vocês produzem diversos estilos de hidromel, qual o que você mais gosta dentre eles tanto de produzir quanto de beber?

É difícil dizer pois cada um possui uma personalidade própria o que dificulta compará-los. Gostamos muito de todos, mas talvez nosso favorito seria o Berrfott. O sabor da madeira é delicioso, lembra whiskey e a combinação com pimenta é incrível. Com certeza é um hidromel diferente do tudo o que provamos por aí.

7 – Vocês foram premiados na segunda edição da Copa Kylix de hidroméis, que foi a primeira edição que permitiu a participação de profissionais. Como você avalia ser premiado em um concurso que já reúne quase uma centena de amostras inscritas? E qual a sua opinião sobre os concursos de hidromel?

É muito importante que se tenha um concurso para o hidromel e a organização está de parabéns pela iniciativa, este tipo de ação aumenta a credibilidade da bebida e o seu conhecimento com o público, além de apontar quais produtos estão num caminho bom.

Quando começamos a produzir não sabíamos muito o sabor que um hidromel deveria ter, provamos alguns produtos artesanais nacionais na época e nenhum tinha atingido nossa expectativa, até pensamos por algum momento em desistir, mas quando fizemos nosso primeiro lote que foi um melomel de morango, percebemos que o hidromel tem possibilidades maravilhosas e que teríamos uma variedade muito grande de sabores para explorar.

Vencer a competição ano passado foi muito legal e inesperado. Ainda não conhecíamos todos os produtos nacionais e os que tínhamos provado já eram de boa qualidade. Foi muito bom obter este reconhecimento pelo trabalho feito além de receber o feedback dos jurados, o que nos ajuda a melhorar ainda mais. Este ano estamos participando novamente e com certeza será mais difícil conquistar o troféu, mas estamos na torcida.

8 – Qual é o hidromel inesquecível que você já provou? É comercial ou caseiro?

Tomamos uma vez um hidromel comercial de uma marca espanhola excepcional. Era um melomel chamado Freyja feito com frutas vermelhas e com leve carbonatação muito equilibrado e com aroma inesquecível.

Outro hidromel inesquecível foi um hidromel tradicional seco francês, produzido por Alain Laperrousaz.

9 – Você também produz hidroméis artesanais? O que tem saído dos seus fermentadores?

A verdade é que fermentamos menos do que gostaríamos pois a maior parte do nosso tempo é dedicado a fermentação dos nossos 5 produtos da linha comercial junto com todas as etapas de comercialização envolvidas. Porém, a não muito tempo atrás fizemos alguns experimentos com melomeis e testamos com inúmeras frutas. Uma das nossas maiores surpresas foi um melomel de abacaxi que possuia muita personalidade e “brasileiraridade”. Temos plano de talvez lançar alguma edição especial nesse estilo, quem sabe.

10– O que você, como produtor industrial, acha da cultura de produção caseira/artesanal?

É da produção caseira que nascem as produções industriais. É o berço das bebidas e também a fase mais gostosa, onde se aprende muito testando e provando novas técnicas e ingredientes. Naturalmente o produto amadurece e com o tempo sua produção se regulariza em uma indústria. Não tem como crescer de forma artesanal, além de ser arriscado para quem produz e para quem consome.

11 – Você tem algum hidromel, comercial, caseiro, de alguma região específica ou mesmo de algum fabricante específico que serve de inspiração para suas produções?

As inspirações para nossos produtos e as técnicas que utilizamos acabaram vindo da nossa própria experiência e estudos com a bebida. Começamos num momento que era muito pouco o conhecimento sobre o hidromel, as fontes mais completas eram em inglês e até hoje são poucas as publicações científicas. Acabamos tendo que desenvolver tudo com pesquisa própria.

Hoje até podemos dizer que nos inspiramos em marcas dos Estados Unidos principalmente, como Moonlight e Melovino, mas ainda não chegamos nem a provar estes hidroméis, pela dificuldade em comprar daqui do Brasil.

12 – Quais são as formas mais inusitadas de consumo que já observou dentro o seu público?

No nosso site temos um blog com pratos e drinques para fazer com hidromel e os mais inusitados que pesquisamos até agora foram de geléias, sobremesas, molhos e até na salada. Ou em drinques, onde se pode substituir qualquer fermentado como vinho ou vermute por hidromel.

13 – Algumas últimas palavras ou uma mensagem para os leitores?

Ficamos muito felizes com este convite para uma entrevista. É bem legal participar do site Pompéia Hidroméis que nos ajudou muito no começo com as dicas em vídeos e esperamos que cada vez mais pessoas conheçam o hidromel, tomem e indiquem para os amigos para que este legado do hidromel se faça presente no nosso país.

E a surpresa:

E se você está lendo até aqui, a Arven está dando 25% de desconto na loja online deles para todos os leitores do Pompeia Hidromeis.

Basta acessar o link www.arvenhidromeis.com.br/comprar-hidromel e utiizar o cupom POMPEIA no carrinho de compras.

Um abraço amigos!



Categorias:Entrevistas, Hidromel

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

2 respostas

  1. Parabéns pelo trabalho Luis e ao pessoal da Arven!
    Sou entusiasta da área, com sua bibliografia e seus vídeos fiz minha primeira leva.
    Quais dicas/ conselhos você daria para venda do hidromel caseiro?

    Curtir

    • Cassiani, sinceramente a dica é não vender ou se vender o faça apenas para os amigos mais próximos. Vender bebidas alcoólicas sem o devido registro no MAPA é proibido.

      Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: