Qual a direção do hidromel brasileiro?

bussola-material-vector_15-8782Olá a todos! Temos depois de algum tempo de popularização do hidromel, atraído um sem-número de produtores artesanais por todo o país, e estes, exibem gloriosamente (e com razão) suas produções atraem mais amigos e curiosos que eventualmente acabam se tornando fãs e futuros produtores desta ancestral bebida.

Tenho, como fã/produtor/incentivador do hidromel brasileiro a oportunidade ímpar de poder degustar muitas destas produções dos conterrâneos sejam nos concursos estaduais, regionais ou nacional, todos atuando como juiz, e é inegável que temos tido uma grande evolução na qualidade de produção dos nossos néctares. Nos primeiros concursos que houveram inscrições de hidromel Brasil afora, os hidromel sofriam de carências básicas como: má clarificação, fermentação sem nenhum tipo de controle e uma clara pressa no processo produtivo.

À partir do concurso Estadual Catarinense deste ano foi notado uma enorme melhora na qualidade dos hidroméis enviados, todas as amostras com uma excelente clarificação e muitos deles realmente muito prazerosos de se beber. A única coisa a se notar negativamente no nosso caso ainda é a falta de tempo de maturação das nossas criações, por vezes nossos estoques são consumidos ou distribuídos antes que tenham tempo para mostrarem efetivamente tudo o que podem. Para se ter uma idéia, o hidromel que ganhou o catarinense tinha 3 anos de guarda, e os próprios criadores, além de o produzirem após muita pesquisa, notaram claramente que ele levou tempo para ficar pronto de verdade.Na Mazer Cup (a maior competição de hidromel do mundo sediada nos Estados Unidos)  praticamente todos os hidroméis que levaram a dianteira tiveram um longo tempo de envelhecimento.

E qual a identidade do hidromel brasileiro? Ainda não se tem definição sobre isso… apesar de algumas receitas focadas em méis nacionais (destaque para o mel de bracatinga) ou frutas típicas (jabuticaba tem sido muito usada) ainda temos carência de uma identidade. Em um país com tantos produtos típicos acredito que estejamos perdendo tempo, a não ser que a intenção do hidromeleiro seja exclusivamente a recriação de estilos tradicionais de outros povos, o que também é super válido!

Agora a maior batalha a ser travada pelo hidromel nacional não é simplesmente melhorar a qualidade dos nossos hidroméis, é antes disso, criar uma cultura hidromeleira sólida, que conheça o hidromel com a qualidade que o mesmo pode ter e não apenas empurrar um hidromel feito de qualquer maneira para um grupo de pessoas/amigos/clientes com o intuito que ganhas alguns trocados. Nós que estamos na dianteira desse processo de formação cultural temos o dever e a responsabilidade de criar um público que conheça e se maravilhe com o hidromel que pode ser produzido no nosso país. Para isso temos não apenas que deixar de lado nossas vaidades e desejos imediatos mas trabalharmos para que possamos em conjunto colocar o hidromel no seu devido lugar. É esse lugar é no alto, muito no alto!

Se você é produtor de hidromel dissemine boas práticas de produção, ajuda a quem ainda está começando a trilhar o caminho. Se uma leva não ficou com a devida qualidade deixe isso claro e seja honesto! Se você é apreciador da bebida procure selecionar os hidroméis que bebe para que assim os que ficam aquém da qualidade sejam obrigados a se movimentar e melhorar o que fazem! Todos podem (e devem!) ajudar!

Em paralelo a isto, temos outra grande batalha que é sobre a legislação de produção do hidromel no Brasil. As portarias que o MAPA possui até o momento ainda são muito vagas sobre a produção do precioso néctar e acredito que possamos ajudar, identificando (com seriedade e honestidade) as reais necessidades, direitos e deveres do setor e tentar deixar isso claro para que o MAPA possa fazer seu trabalho. Por exemplo se adicionarmos qualquer adjunto na receita do hidromel (além de mel, água e leveduras) a bebida tem que portar no rótulo o nome “Bebida Mista Fermentada”, porque não podemos ter no rótulo a descrição “Melomel/Metheglyn/Pyment” entre outros? Longo e árduo caminho mas que será recompensador um dia.  Novamente aqui precisamos de união.

Do mais, acredito que ainda falte diálogo entre os produtores de hidromel! Algumas vaidades e interesses pessoais ainda são mais importantes que a causa do hidromel em si, e enquanto isso não mudar dificilmente teremos solidez para seguir adiante. Saiam das suas tocas pessoal!!! Vamos nos encontrar mais, promover mais encontros deixando os convites em aberto para quem queira participar e não apenas panelas fechadas para alguns poucos escolhidos! Encontros regionais já deveriam estar acontecendo e seriam muito saudáveis para a troca de experiências e motivação de todos!

Participem mais dos concursos promovidos pelas ACervAs que estão dando um grande apoio à nossa causa, participar de concursos como estes é como ganhar uma imensa consultoria sobre suas produções. Bem pessoal, queria apenas partilhar estas opiniões sobre o que tenho visto e aprendido sobre o cenário hidromeleiro no Brasil nos últimos meses como produtor, bebedor e juiz de hidromel. Tenho viajado bastante levando os cursos e participando dos concursos e isso que escrevi me parece sempre muito evidente e é uma pequena barreira para darmos um grande salto!

Um abraço a todos e ótimas fermentações! Luis Felipe de Moraes



Categorias:Hidromel

Tags:, , , , , ,

2 respostas

  1. Texto perfeito! Assinto embaixo e apóio demais! Abraços Luis, e vamos fazer do moto do Buzz Lightyear, também o do hidromel: para o infinito e além!

    Curtir

  2. Vamos a luta Luis !!

    Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: