Hidromel Polonês: Jadwiga – Póltorak

Olá a todos! Bem vindos novamente. Seguindo com a degustação do último exemplar de hidromel polonês que pude botas as mãos hoje é o dia do Jadwiga um hidromel Póltorak feito, como os demais degustados até agora, dentro das regras de produção tradicionais polonesas.

Esse hidromel em especial foi uma grande experiência. Na primeira prova que fiz dele achei pesado, doce e enjoativo. Isso tudo ao ponto de achar que era apenas coisa para polonês… mas depois com calma (e essa coisa de experimentar novamente em outro momento aprendi com o mundo dos vinhos) fiz uma nova prova e tenho que dizer que me surpreendi demais com o poder desse hidromel.

A textura dele é algo fantástica, macio e sedoso demais! Sua doçura apesar de intensa não está fora de equilíbrio mas sim dentro de uma proposta que foge de tudo o que eu tinha tomado até hoje, mesmo se colocar para comprar vinhos de sobremesa dos mais complexos (como Tokaji (Húngaro) ou Sauternes (Francês)) que já provei. Sua presença de boca, doçura e intensidade de sabor realmente lhe valem a alcunha de “Hidromel Real”.

Estilo do dia Póltorak

Feito com a receita básica obrigatória de uma parte de mel para meia de água (!). Pode levar ervas e/ou especiarias em sua composição e deve ter cor entre o dourado e o âmbar escuro, a graduação alcoólica deve ser de 15 – 18%abv e deve ter uma incrível taxa de açúcares presentes de 600 gramas por litro!

As especiarias permitidas para uso no Póltorak são: cravo, canela, noz moscada e gengibre. Também podem ser usados frutas na forma fresca ou em suco. Se o produtor quiser utilizar as frutas deve substituir ao menos 30% da água pela fruta.

Como a quantidade de mel é muito alta se fosse adicionado todo na preparação do mosto certamente as leveduras teriam um choque e não conseguiriam trabalhar, então o mosto é fermentado com parte do mel, o suficiente para levar o hidromel a 12%abv depois o restante do mel é adicionado na maturação, para atingir o volume alcoólico necessário é adicionado álcool de cereais. O período mínimo de envelhecimento exigido por lei é de 3 anos.

Prova

O hidromel provado hoje é o Jadwiga da Apis, é um dos mais conhecidos entre os grandes hidroméis da Polônia. No site RateBeer tem a fantástica pontuação de 100 pontos!!!! (veja aqui) Isso na data da matéria!

Cor âmbar escuro com reflexos acobreados, completamente limpo, cristalino e brilhante. Forma lágrimas extremamente lentas, demonstrando o grande corpo que tem esse hidromel. No nariz muita complexidade, mel cru, floral, frutas passas, sherry, delicadamente alguma especiaria. Muita complexidade e os aromas vão se abrindo e ficando ainda mais ricos conforme ele fica na taça.

Na boca ele é incrível, cremoso (sim a textura lembra cremosidade!), intenso, frutas passas, mel, geléia de frutas vermelhas, caramelo (vindo do envelhecimento em madeira). Intenso demais. Mesmo depois de engolir o sabor parece não deixar sua boca. Muito persistente. Mesmo com toda a doçura que tem (e não é pouca) a acides vem no ponto e deixa sua boca limpa e mesmo depois de vários goles a doçura não fica enjoativa.

Foi um grande prazer poder provar essa realeza do mundo dos hidroméis. Um estilo que demanda paixão e muita dedicação para se chegar ao ponto ideal de produção. Espero em breve poder tomar mais alguns exemplares de hidroméis poloneses, pois já sou fã deles.

Um abraço e boas fermentações a todos.

Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidroméis



Categorias:Hidromel, Países Produtores

Tags:, , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: