Escolhendo o fermentador certo para você!

Olá meus amigos hidromeleiros! As vezes me pego pensando em assuntos que são mais complexos e outras vezes em assuntos que são mais simples, envolvem menos variáveis, mas nem por isso são menos importantes para nossas produções hidromeleiras. Vocês bem sabem que tudo que é ligado à produção deve ser pensado com carinho e em detalhes.

Normalmente esse assunto é um dos primeiros senão o primeiro em que pensamos quando decidimos começar a fermentar em casa, mas também acaba voltando se nos empolgamos e aumentados a produção. Então as perguntas voltam a surgir: Em que tipo de fermentador vou colocar meu hidromel? Existe um melhor que o outro? Quanto custam? Quais os materiais que são usados e quais seus prós e contras? Qual o tamanho ideal para mim?

Encontrar o melhor fermentador vai variar de pessoa para pessoa e da necessidade de cada um, mas respondendo as perguntas acima e analisando o quanto você pode e pretende gastar podemos chegar a algo muito próximo da nossa necessidade.

Qual o tamanho ideal para mim?

Precisamos pensar no que queremos fazer. Usualmente o pessoal no Brasil começa com baldes fermentadores de 20 litros. Mas claro, tem muita gente também que usa galões de água de 5 litros que servem tanto para uma leva econômica, quanto para testes. Agora lembre-se: Hidromel demora para ficar pronto! Demora mesmo! Então pense se não vale a pena usar um fermentador um pouquinho maior para que a espera valha a pena.

Aqui encontramos com uma certa facilidade fermentadores de 20 e 30 litros no formato de baldes alimentícios, de 30, 50, 60 ou mais no formato de bombonas alimentícias e maiores fabricados para esse uso específico (ex: Indupropil).

Uma coisa importante é lembrar que usar um fermentador de 20 litros não quer dizer que você vai fermentar 20 litros de mosto. É preciso sempre deixar um espaço vazio para os efeitos da fermentação (head space) que vai variar de acordo com a levedura.

Quais os materiais que são usados e quais seus prós e contras?

Galão de água, alternativa barata!

Atualmente existem vários materiais usados para produção de contenedores que podem ser usados como fermentadores: PET, plásticos, vidro, aço inox são os mais comuns, os de vidro que são mais difíceis de encontrar no Brasil são extremamente comuns nos EUA no formato dos galões de 20litros de água que temos aqui no Brasil.

É importante salientes que plásticos e PET podem ser mais problemáticos na questão da limpeza com o passar do tempo, e se não for usado um plástico alimentício você pode gerar contaminação do seu mosto.

O plástico mais usado para fermentadores é o Polipropileno. Veja as características:

  • Polipropileno (PP) ou polipropeno é um polímero ou plástico, derivado do propeno ou propileno e reciclável. Ele pode ser identificado em materiais através do símbolo triangular de reciclável, com um número “5” por dentro e as letras “PP” por baixo (imagem à esquerda). A sua forma molecular é (C3H6)x. O polipropileno é um tipo de plástico que pode ser moldado usando apenas aquecimento, ou seja, é um termoplástico. Possui propriedades muito semelhantes às do polietileno (PE), mas com ponto de amolecimento mais elevado.  

             Principais propriedades:

                 • Baixo custo; 
                 • Elevada resistência química e a solventes; 
                 • Fácil moldagem;
                 • Fácil coloração; 
                 • Alta resistência à fratura por flexão ou fadiga; 
                 • Boa resistência ao impacto acima de 15 °C;
                 • Boa estabilidade térmica;
                 • Maior resistência  ao raios UV, nas cores cinza (PPZ) e mais sensível aos raios UV na cor Branca (PPN)

O vidro além de ser uma material inerte é de fácil limpeza, não concentra odores, porém é delicado e pode quebrar com facilidade.

O aço inox junta as melhores propriedades de todos eles, porém é o mais caro desses.

Um resumo sobre os fermentadores e seus formatos:

  • Galões de água  mineral são acessíveis, se tornando uma alternativa barata, podem ser difíceis de limpar pelo pequeno tamanho do gargalo dos mesmos.  Mas são leves e praticamente inquebráveis, como os demais plásticos, podem sofrer ranhuras durante as limpezas e essas podem acumular contaminantes para as próximas levas. É facilmente encontrado em qualquer padaria, mercado, etc.
  • Baldes alimentícios e bombonas também são leves de manusear, difícil de quebrar, tem um acesso grande o que facilita a limpeza. Mas é um plástico e tem os problemas de limpeza que todo plástico tem. Está em uma faixa intermediária de preço e é encontrado com relativa facilidade por todo canto. Pense que usando um balde você provavelmente vai ter que usar uma torneira instalada nele o que agrega mais custos.
  • Galões de Vidro: apesar de serem raros e caros no Brasil tem homebrewer que jura que fermentados em vidro tem melhor sabor e aroma do que em plásticos. Vantagem principal, facilidade da limpeza e neutralidade do vidro. Inerte total. Contras: Fragilidade,peso, preço e normalmente o acesso de limpeza é a mesma complicação do galão de água mineral.
  • Aço inox: são feitos para a coisa, você encontra com várias especificações de modelos próprios para fermentação, fácil limpeza, inertes. Contras: custos altíssimos no Brasil!
  • Fermentadores em Polipropileno (PP): Encontra-se em vários tamanhos e formatos, para fermentação fechada ou aberta, fácil acesso para limpeza, preço decente principalmente se comparado com o de Inox. Contras é plástico e tem os problemas com limpeza. Não é inquebrável como o aço.

Modelos: Fundo cônico ou plano?

Fundo cônico e suas válvulas

O fermentador de fundo cônico tem vantagens! Sem dúvida! Nele o fermento decanta para o cone que fica na parte de baixo do fermentador e normalmente existe uma válvula (torneira) no fundo do cone que serve para expurgar o fermento quando esse decantou. Isso evita ter que ficar fazendo trasfegas de um lugar para outro e diminui também a chance de contaminações. Usando essa válvula também fica fácil para retirar o fermento para uma reutilização (lavagem e armazenamento, replicação, uso em outro mosto etc…).

Fermentadores de fundo plano dão um pouco mais de trabalho, pois precisam ser esvaziados para que possam ser limpos e voltem a acondicionar o mosto. Mas são funcionais apesar disso.

Espero que ajude quem está começando ou quem pretende fazer novos investimentos em fermentadores!

Um abraço e boas fermentações a todos!

Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidroméis



Categorias:Hidromel

Tags:, , , , , , , ,

3 respostas

  1. Esses de fundo cônico parecem facilitar muito o trabalho, pena que são caros.

    Curtir

  2. Olá, Luis.
    Se eu usar um balde de 20 litros como fermentador, existe alguma regra de qual o espaço que devo deixar livre?
    Vamos supor que eu faça 15 litros de hidromel nele, haverá algum problema com todo o espaço livre no fermentador?

    Abração

    Curtir

    • Espaço demais é ruim, pois pode acumular muito oxigênio na maturação. Espaço de menor vai fazer bagunça quando estiver gerando espuma e a mesma precisar sair pelo airlock… deixa uns 10-20% da capacidade do fermentação vaga que normalmente é suficiente.

      Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: