Guia de Estilos – BJCP

Pessoal! Apresento a vocês um trabalho maravilhoso de tradução do Guia de Estilos do BJCP sobre hidroméis! Esse trabalho é uma tradução extra-oficial, mas é um trabalho primoroso elaborado por Charles Ristow e Marcos Odebrecht Jr. Muito obrigado aos dois por esse grande legado.

Estudem os textos dos posts a seguir com atenção e carinho, pois o mesmos são riquíssimos em detalhes para a referência em qualidade de produção.

Os tradutores gostariam de deixar claro que estão abertos a sugestões para melhoria da tradução dos textos, então se você é proficiente em inglês e quer ajudar, por favor, fique a vontade, mande e-mail para felipe@pompeiahidromeis.com que passarei as sugestões aos tradutores.

Boa leitura a todos!

INTRODUÇÃO ÀS DIRETRIZES DE HIDROMEL (CATEGORIAS 24-26)

A discussão a seguir se aplica a todos os estilos de hidromel, exceto quando explicitamente substituído nas diretrizes das subcategorias. Esta introdução identifica as características e descrições comuns para todos os tipos de hidromel e deve ser utilizada como referência tanto para inscrição quanto para o julgamento de hidromel.

1. Atributos importantes que devem ser especificados:

Dulçor. Um hidromel pode ser seco, meio doce ou doce. O dulçor refere-se simplesmente à quantidade de açúcar residual no hidromel. O dulçor é frequentemente confundido com frutosidade em um hidromel seco. O corpo está relacionado ao dulçor, mas hidroméis secos também podem apresentar algum corpo. Hidroméis secos não precisam ser extremamente secos. Hidroméis doces não devem ser enjoativos e não devem apresentar caráter natural de mel não fermentado. O dulçor é independente da força alcoólica.

Carbonatação. Um hidromel pode ser considerado natural (sem carbonatação – still), levemente carbonatado (Petillant) ou espumante (sparkling). O hidromel natural não precisa ser totalmente sem gás, este pode apresentar algumas bolhas pequenas. Hidroméis carbonatados são levemente gaseificados e podem apresentar um nível moderado e perceptível de carbonatação. Hidroméis espumantes não devem apresentar esguichos, mas podem possuir um caráter que varia deste uma sensação na boca de preenchimento até uma sensação na boca similar a um Champanhe ou refrigerante.

Força. Um hidromel pode ser categorizado como hidromel suave (hydromel), hidromel (standard) ou hidromel forte (sack). A força se refere à graduação alcoólica do hidromel (e também à quantidade de mel e outros fermentáveis utilizados para fazer o hidromel). Hidroméis mais fortes podem apresentar um maior caráter de mel e corpo (assim como o álcool) em relação à hidroméis mais fracos, embora isso não seja uma regra estrita.

Variedade do mel. Alguns tipos de mel possuem forte caráter varietal (aroma, sabor, cor e acidez). Se o mel for incomum, informações adicionais podem ser fornecidas para informar os juízes qual caráter esperar. É importante destacar que o termo “flores silvestres” não é uma variedade de mel; este é um termo especificamente empregado para descrever um mel derivado de flores mistas ou desconhecidas.

Ingredientes especiais. Alguns estilos podem incluir frutas, temperos, malte, etc. Os juízes precisam saber quais os ingredientes que resultaram no caráter distintivo para avaliar apropriadamente o hidromel.

2. Características comuns do hidromel:

Aparência: a limpidez pode ser desde boa até cristalina. Exemplares transparentes, reflexivos com um vívido e distintivo menisco são altamente desejáveis. Partículas visíveis (mesmo em uma amostra límpida) são indesejáveis. Exemplares altamente carbonatados geralmente possuem um colarinho de baixa retenção, similar ao Champanhe ou refrigerante. Alguns aspectos das bolhas ou da formação de colarinho que podem ser observados e comentados incluem o tamanho (grande ou pequeno), persistência (por quanto tempo estas continuam a se formar?), quantidade (quanto está presente?), velocidade (com que rapidez se forma?), e mousse (aparência ou qualidade da espuma que permanece). Os componentes das bolhas ou do colarinho possuem grande variação dependendo do nível de carbonatação, dos ingredientes e do tipo de hidromel. Em geral, bolhas menores são mais desejáveis do que bolhas maiores, servindo também como indício de qualidade do hidromel. A cor pode variar amplamente, dependendo da variedade do mel e de outros ingredientes opcionais (como por exemplo, frutas e maltes). Algumas variedades de mel são bem claras, enquanto outras podem ser bem escuras. A maioria apresenta coloração de amarelo palha a dourado. Se nenhuma variedade de mel for declarada, praticamente qualquer cor é aceitável. Se a variedade for declarada a cor deve, em geral, ser sugestiva ao mel utilizado (embora uma variedade muito ampla de cores ainda seja possível). O matiz, a saturação e pureza da cor devem ser considerados. Versões mais fortes (standard e sack) podem apresentar sinais de corpo (como por exemplo, pernas de álcool, menisco), mas níveis elevados de carbonatação podem interferir nesta percepção.

Aroma: A intensidade do aroma de mel irá variar de acordo com o dulçor e a força do hidromel. Hidroméis mais fortes ou mais doces podem ter aroma mais forte de mel do que versões mais secas ou mais fracas. Diferentes variedades de mel possuem intensidades e caráteres distintos; algumas (flor de laranjeira, trigo sarraceno) são reconhecidas mais facilmente do que outras (abacate, palmeira). Se a variedade de mel for declarada, o caráter varietal do mel deve ser evidente, mesmo que sutil. Os aromáticos podem parecer vinosos (similar ao vinho), e podem incluir notas frutadas, florais ou condimentadas. O buquê (rico, com aromas complexos provenientes da combinação de ingredientes, fermentação e envelhecimento) deve apresentar um caráter agradável da fermentação, com aromas limpos e frescos sendo preferidos em relação a aromas desagradáveis de fermento ou notas sulfurosas. Um buquê multifacetado, também conhecido por complexidade ou profundidade, é um atributo positivo. Aromas fenólicos ou diacetil não devem estar presentes. Aromas desagradáveis ou de produtos químicos não devem estar presentes. Pode apresentar baixa oxidação, dependendo do tempo de maturação, o que pode resultar em notas como xerez, que são aceitáveis em níveis baixos a moderados (quando equilibrado, estes podem adicionar complexidade). Um caráter excessivo de xerez é um problema na maioria dos estilos (exceto em certos estilos poloneses, ou outros hidroméis produzidos com intuito de obter caráter de xerez). A oxidação que resulta em caráter de papelão é sempre indesejável. Aromas de álcool podem estar presentes, mas calor, como solvente ou conotações irritantes são defeitos. A harmonia e o equilíbrio do aroma e buquê devem ser agradáveis e atraentes.

Sabor: A intensidade do sabor do mel irá variar baseada no dulçor e na força do hidromel. Hidroméis mais fortes e mais doces possuirão um sabor mais forte de mel do que versões mais secas e mais fracas. Diferentes variedades de mel possuem intensidades e caráteres distintos. Alguns (como por exemplo, flor de laranjeira, trigo sarraceno) são reconhecidos mais facilmente do que outros (como por exemplo, cártamo, palmeira). Se a variedade de mel for declarada, o caráter varietal deve ser distintivo, mesmo que sutil. O dulçor residual variará de acordo com o dulçor do hidromel; hidroméis secos não possuem açúcar residual, hidroméis doces possuem um dulçor de aparente a proeminente, e hidroméis meio doces possuem um dulçor equilibrado. Em nenhum caso o hidromel poderá apresentar um dulçor enjoativo, como xarope ou similar a mel não fermentado. Quaisquer aditivos tais como acidez ou taninos, devem acentuar o sabor do mel e atribuir um equilíbrio ao caráter geral do hidromel, mas não devem ser excessivamente azedos ou adstringentes. Sabores artificiais, desagradáveis, que lembram produtos químicos, fenólicos ou amargos são defeitos. Elevada carbonatação (se presente) acentua a acidez e resulta em uma “picada” no final. O retrogosto deve ser avaliado; final persistente geralmente é mais desejável. Um sabor multifacetado, também conhecido por complexidade ou profundidade, é um atributo positivo. Características do fermento ou provenientes da fermentação podem variar desde nenhuma à notável, com sabores de ésteres, frescos e límpidos sendo mais desejados. Sabor de álcool (se presente) deve ser suave e bem envelhecido, este não deve ser áspero ou como solvente. Baixa oxidação pode estar presente, dependendo do envelhecimento, mas um caráter excessivo de xerez ou como papel deve se evitado. O envelhecimento e acondicionamento geralmente suavizam os sabores e criam um produto mais elegante e suave. Os sabores tendem a tornarem-se mais sutis de acordo com o tempo e podem se deteriorar com envelhecimento por tempo estendido.

Sensação na boca: Antes de avaliar, verifique os níveis declarados de dulçor, força e carbonatação, assim como qualquer ingrediente especial. Todos estes podem afetar a sensação na boca. Textura suave. Exemplares bem feitos geralmente apresentam um caráter elegante similar ao vinho. O corpo pode variar consideravelmente, embora a maioria apresente corpo de médio-baixo a médio-alto. O corpo geralmente aumenta em hidroméis mais fortes e/ou mais doces e pode, em algumas vezes, ser bem cheio e pesado. Similarmente, o corpo geralmente diminui com menores densidades iniciais e/ou com hidroméis mais secos, podendo ser por vezes bastante leve. Sensações de corpo não devem ser acompanhadas por um dulçor demasiadamente enjoativo (mesmo nos hidroméis doces). Um corpo muito leve ou aguado também é indesejado. Alguma acidez natural pode estar presente (particularmente em hidroméis a base de frutas). Baixos níveis de adstringência podem estar presentes (provenientes devido à utilização de frutas específicas ou condimentos, ou de chá, aditivos químicos ou envelhecimento em carvalho). Acidez e taninos ajudam a equilibrar a apresentação geral do mel, do dulçor e do álcool. A carbonatação pode variar consideravelmente (veja definições acima). Hidroméis não carbonatados podem apresentar um baixo nível de carbonatação, hidroméis levemente carbonatados apresentam notáveis bolhas e um hidromel carbonatado pode variar desde níveis que enchem a boca até níveis que se assemelham ao Champanhe ou ao refrigerante. Um elevado nível de carbonatação aumenta a acidez e gera uma picada no final. O aquecimento alcoólico é por vezes presente e esta característica usualmente aumenta com a força (embora o envelhecimento estendido possa suavizar esta sensação).

Impressão geral: Uma grande variedade de resultados é possível, mas os exemplos bem feitos apresentam um agradável equilíbrio de sabores de mel, dulçor, acidez, taninos e álcool. Força, dulçor e envelhecimento afetam muito a apresentação geral. Qualquer ingrediente especial deve estar bem inserido com os demais ingredientes e resultar em um produto harmonioso.

Ingredientes: Hidromel é feito basicamente de mel, água e levedura. Pequenos ajustes na acidez e taninos podem ser feitos utilizando frutas cítricas, chás, produtos químicos ou através do envelhecendo em carvalho; entretanto, estes aditivos não devem ser prontamente discerníveis no sabor ou aroma. Nutriente para levedura pode ser utilizado, mas não deve ser detectado. Se frutas cítricas, chá ou carvalho forem utilizados como aditivos e resultarem em sabores acima de um nível mínimo, em segundo plano, de ajuste de equilíbrio, o hidromel resultante deve ser inscrito apropriadamente (como por exemplo, como um metheglin ou na categoria aberta de hidromel e não como um hidromel tradicional).

Estatísticas:
OG: hydromel: 1.035 – 1.080
standard: 1.080 – 1.120
sack: 1.120 – 1.170
ABV: hydromel: 3.5 – 7.5%
standard: 7.5 – 14%
sack: 14 – 18%
FG: seco: 0.990 – 1.010
meio doce: 1.010 – 1.025
doce: 1.025 – 1.050

Note que a percepção de dulçor é uma função do percentual de açúcar residual, portanto não se atenha à medida de densidade final para determinar o dulçor. Considere a densidade inicial, a força e, em menor grau, a acidez para estimar o dulçor.
IBU: não é relevante para hidromel, exceto pela categoria braggot, mas o lúpulo é opcional mesmo neste estilo.
SRM: basicamente irrelevante considerando que o mel pode variar desde praticamente claro até marrom escuro. As categorias de Melomel e Pyments podem apresentar tonalidades nas cores laranja, vermelho, rosa e/ou roxo. Os Cysers são geralmente dourados. Os Braggots podem ser desde amarelos até pretos. Em todos os casos, a cor deve refletir o ingrediente utilizado (tipo de mel, fruta e/ou malte em alguns estilos).

3. Inscrevendo e Categorizando Hidroméis:

Requisitos obrigatórios:
o Os participantes DEVEM especificar o nível de carbonatação (natural – still, levemente carbonatado ou gaseificado – petillant ou altamente carbonatado – sparkling).
o Os participantes DEVEM especificar a força (hidromel suave – light mead, hidromel – standard mead ou hidromel forte – sack).
o Os participantes DEVEM especificar o nível de dulçor (seco, meio doce ou doce).

Requisitos opcionais: Os participantes PODEM especificar a variedade de mel utilizada. Se as variedades de mel forem declaradas, os juízes irão procurar pelo caráter varietal do mel. Perceba que o caráter varietal de um mel será identificado como distintivo com relação às flores de origem, mas pode não assemelhar-se com a planta, árvore ou fruta. Por exemplo, o mel de flor de laranjeira possui caráter de flores da laranjeira, não das laranjas; o mel de amoras pretas é apenas parecido com amoras pretas, embora possua um caráter identificável.

Requisitos específicos por categoria: Algumas categorias necessitam de informações adicionais, particularmente nas categorias diferentes de Hidromel Tradicional. Por exemplo, devem-se declarar especificamente frutas, condimentos ou características especiais. Informações complementares devem ser fornecidas aos juízes se algum ingrediente ou método incomum foi utilizado.

Padrões: Caso nenhum atributo seja especificado, os juízes deverão julgar o hidromel como meio doce, levemente carbonatado, com força de hidromel, sem caráter varietal de mel ou ingredientes especiais. Os organizadores da competição devem garantir que os juízes tenham acesso a todos os atributos dos hidroméis que estiverem sendo avaliados.

24. Traditional Mead (Hidromel Tradicional)

Veja a Introdução às Diretrizes de Hidromel para a descrição detalhada das características de hidromel, a explicação dos termos padrões e instruções para inscrição das amostras.

24A. Dry Mead (Hidromel Seco)

Aroma: O aroma de mel pode ser sutil, embora nem sempre perceptível. Dulçor ou sabor de mel significantes não devem ser esperados. Se a variedade de mel for declarada a variedade deve ser distintiva (caso perceptível). Diferentes tipos de mel possuem intensidades e características distintas. A descrição padrão se aplica às demais características.

Aparência: A descrição padrão se aplica.

Sabor: Sutil caráter de mel (se perceptível) podendo apresentar sabor de sutil à aparente de mel varietal caso um mel varietal tenha sido declarado (diferentes variedades possuem intensidades distintas). Dulçor residual nulo ou mínimo, com final seco. Características de fermentação tais como sulfuroso, áspero ou de fermento são indesejáveis. A descrição padrão se aplica às demais características.

Sensação na Boca: A descrição padrão se aplica, embora o corpo seja geralmente de baixo a médio. Note que hidroméis mais fortes possuirão corpo mais cheio. A sensação de corpo não deve ser acompanhada de um perceptível dulçor residual.

Impressão Geral: O equilíbrio, o corpo, o final e a intensidade de sabor são similares aos do vinho branco seco, com uma mistura sutil e agradável de caráter de mel, ésteres frutados e álcool. Complexidade, harmonia e equilíbrio dos elementos sensoriais são desejáveis, sem inconsistências na cor, no aroma, no sabor ou no retrogosto. O equilíbrio adequado de dulçor, acidez, álcool e caráter de mel é a medida final essencial de qualquer hidromel.

Ingredientes: A descrição padrão se aplica. Hidroméis tradicionais apresentam caráter de mel misturado ou de um conjunto de méis. Hidroméis varietais apresentam o caráter distintivo de certos méis. Show meads não apresentam nenhum aditivo, mas esta distinção geralmente não é óbvia para os juízes.

Comentários: Veja a descrição padrão com os requisitos para inscrição das amostras. Os participantes DEVEM especificar o nível de carbonatação e a força alcoólica. O dulçor é presumido como sendo SECO nesta categoria. Os participantes PODEM especificar a variedade do mel.

Exemplos Comerciais: White Winter Dry Mead, Sky River Dry Mead, Intermiel Bouquet Printanier.

24B. Semi-Sweet Mead (Hidromel Meio Doce)

Aroma: O aroma de mel deve ser notável e pode ter um leve dulçor que expresse o aroma do néctar de flores. Se a variedade do mel for declarada, o aroma deverá ter um caráter de sutil à notável que reflita o mel (diferentes variedades de mel possuem diferentes intensidades e caráteres). A descrição padrão se aplica às demais características.

Aparência: a descrição padrão se aplica.

Sabor: Caráter sutil à moderado de mel e pode apresentar caráter sutil à notável de mel varietal se um mel varietal for declarado (diferentes variedades de possuem diferentes intensidades). Dulçor residual sutil à moderado com final meio seco. Características sulfurosas, adstringentes ou de fermento são indesejadas. A descrição padrão se aplica às demais características.

Sensação na Boca: A descrição padrão se aplica, embora o corpo seja geralmente meio-leve à meio-cheio. Note que versões mais fortes de hidromel possuirão mais corpo. Sensações de corpo não devem ser acompanhadas por um dulçor residual acima de moderado.

Impressão Geral: Similar em equilíbrio, corpo, final e intensidade de sabor a um vinho branco semi-doce (ou meio seco), com uma mistura agradável de caráter de mel, leve dulçor, ésteres frutados delicados e álcool límpido. Complexidade, harmonia e equilíbrio dos elementos sensoriais são altamente desejáveis, sem inconsistências de cor, aroma, sabor ou retrogosto. O adequado equilíbrio do dulçor, da acidez, do álcool e do caráter de mel é a medida final de qualquer hidromel.

Ingredientes: A descrição padrão se aplica. Hidroméis tradicionais apresentam caráter de mel misturado ou de um conjunto de méis. Hidroméis varietais apresentam o caráter distintivo de certos méis. Show meads não apresentam nenhum aditivo, mas esta distinção geralmente não é óbvia para os juízes.

Comentários: Veja a descrição padrão com os requisitos para inscrição das amostras. Os participantes DEVEM especificar o nível de carbonatação e a força alcoólica. O dulçor é presumido como sendo MEIO-DOCE nesta categoria. Os participantes PODEM especificar a variedade do mel.

Exemplos Comerciais: Lurgashall English Mead, Redstone Traditional Mountain Honey Wine, Sky River Semi-Sweet Mead, Intermiel Verge d’Or and Mélilot.

24C. Sweet Mead (Hidromel Doce)

Aroma: O aroma de mel deve predominar, sendo, em geral, de moderadamente à fortemente doce, expressando o aroma do néctar de flores. Se a variedade do mel for declarada, o aroma deve possuir caráter varietal que reflita o aroma do mel, desde sutil à muito notável (diferentes variedades possuem diferentes intensidades e caráter). A descrição padrão se aplica às demais características.

Aparência: a descrição padrão se aplica.

Sabor: Moderado à significante caráter de mel que pode apresentar caráter varietal moderado à proeminente se um mel varietal for declarado (diferentes variedades possuem diferentes intensidades). Dulçor residual moderado à elevado, com final doce e cheio (mas não enjoativo). Características sulfurosas, adstringentes ou de fermento são indesejadas. A descrição padrão se aplica às demais características.

Sensação na Boca: A descrição padrão se aplica, entretanto, o corpo é geralmente médio-cheio à cheio. Note que hidroméis mais fortes possuirão corpo mais cheio. Muitos se assemelham ao vinho de sobremesa. Sensações de corpo não devem ser acompanhadas de um dulçor residual desagradável ou enjoativo de mel não fermentado.

Impressão Geral: Similar em equilíbrio, corpo, final e intensidade de sabor à um bom vinho de sobremesa (como o Sauternes), com uma mistura agradável de caráter de mel, leve dulçor, ésteres frutados delicados e álcool limpo. Complexidade, harmonia e equilíbrio dos elementos sensoriais são altamente desejáveis, sem inconsistências de cor, aroma, sabor ou retrogosto. O adequado equilíbrio do dulçor, da acidez, do álcool e do caráter de mel é a medida final de qualquer hidromel.

Ingredientes: A descrição padrão se aplica. Hidroméis tradicionais apresentam caráter de mel misturado ou de um conjunto de méis. Hidroméis varietais apresentam o caráter distintivo de certos méis. Show meads não apresentam nenhum aditivo, mas esta distinção geralmente não é óbvia para os juízes.

Comentários: Veja a descrição padrão com os requisitos para inscrição das amostras. Os participantes DEVEM especificar o nível de carbonatação e a força alcoólica. O dulçor é presumido como sendo DOCE nesta categoria. Os participantes PODEM especificar a variedade do mel.

Exemplos Comerciais: Lurgashall Christmas Mead, Chaucer’s Mead, Rabbit’s Foot Sweet Wildflower Honey Mead, Intermiel Benoîte.

Créditos da tradução:
– Charles Ristow
– Marcos Odebrecht Jr.

Veja a parte dois do guia: Clique aqui!

Abraços e boas fermentações a todos!

Luis Felipe de Moraes – Pompéia Hidroméis



Categorias:Hidromel, Material BJCP

Tags:, , , , , , , ,

4 respostas

  1. Saudações, meu caro Luis!

    Show de bola mesmo! Depois, se possível, poderia nos fornecer um PDF destas traduções, hein?! Ficaria mais bacana ainda!

    Parabéns à você e aos tradutores, pelo belo trabalho que têm feito pelo Hidromel Brasileiro!

    Um Abraço e SUCESSO! Sempre…

    Curtir

  2. Bem legal o artigo. Porém eu sou iniciante, tem muita informação técnica que estou descobrindo, tal como xerez. A medida que essas dicas aparecem, acredito que meu interesse sobre hidromel cresce. Agradeço ao blog por compartilhar essas informações e me fazer um hobista no hidromel. Quem sabe um dia possa a ter experiência para competir ou ser juiz.

    Curtir

Trackbacks

  1. Guia de Estilos – BJCP – Parte II | Pompeia Hidroméis

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: