Produzindo hidromel espumante – Parte II

Mead-and-currantsOlá a todos! Vamos dar continuidade ao nosso primeiro artigo sobre a produção de hidroméis espumantes. Nesse segundo arquivo eu vou falar sobre os outros dois métodos de produção de espumantes, por fermentação, que são possíveis empregar na produção de hidromel. São eles o método Charmat e o método ASTI.

No último artigo falamos muito sobre o methode champenoise que apesar de ser bastante trabalhoso, não exige muitos recursos materiais para sua elaboração. Já o método Charmat e ASTI necessitam de um fermentador especial que é autoclavado o que pode tornar a operação muito mais dispendiosa.

Método Charmat

Também conhecido como método CharmatMartinotti, pois foi criado pelo italiano Frederico Martinotti mas patenteado por Eugene Charmat em 1907 consiste em preparar o produto base e conduzir a segunda fermentação dentro do tanque autoclavado, de aço inox. Após a segunda fermentação ter terminado no tanque o produto deve ser engarrafado sob pressão e está pronto.

A principal vantagem que temos ao usar este método é que eliminamos toda a parte de ter que limpar a borra de fermentação de garrafa por garrafa, congelar a sujeira no gargalo para removê-la e ainda ter que recompletar com o licor de tiragem antes de arrolhar definitivamente.

As desvantagens são a perlage (bolhinhas) que nunca ficam tão finas e persistentes como as do método champenoise, o menor tempo de contato da levedura da segunda fermentação com o produto também influencia muito menos no processo, deixando a bebida menos complexa e geralmente um pouco mais leve, e como o processo todo também requer menos tempo a bebida acaba envelhecendo menos, o que no nosso caso para os hidroméis isso é um ponto ruim.

Método ASTI

É o mais simples de todos os processos de produção de espumantes e é normalmente empregado em bebidas com uma menos graduação alcoólica e geralmente levemente suave (adocicada). A grande vantagem deste método é que é executado em uma única fermentação em tanque autoclavado e como o processo todo é muito mais rápido que os anteriores a bebida mantém muito os aromas de frescor, o que no nosso caso com os hidroméis não é necessariamente uma vantagem já que o envelhecimento faz muito bem para nossas produções. Quase sempre a fermentação é interrompida antes de atenuar todo o açucar do mosto.

Como é um processo com fermentação rápida também temos a perlage mais rápida e menos elegante comparada com todos os outros métodos.

Mas pode gerar espumantes interessantes para consumo com frequência.

Meus caros, é só por hoje! Um abraço e boas fermentações a todos!!

Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidroméis

Primeira parte do artigo: Produzindo Hidromel Espumante – Parte I



Categorias:Hidromel

Tags:, , , , , , , , , ,

1 resposta

  1. Para isso se usa barril de chopp inox? Tem receita do espumante no sait?

    Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: