Bebendo seu néctar. Degustação técnica – Básico.

Olá meus caros amigos!

Já falei para vocês várias vezes sobre como escolher sua levedura, suas frutas, ervas, especiarias, enfim, já conversamos sobre muitas coisas relacionadas à produzir o seu hidromel. Mas ainda não falamos sobre um tema que é muito importante para quem gosta, produz ou apenas quer compreender melhor os hidromeis que tiver a chance de provar.

Vou escrever sobre degustação técnica pessoal. Isso deve ser feito quando se quer extrair o máximo possível de informações sobre o hidromel que tem em mãos.

Degustar o hidromel da maneira correta é sempre um ponto importante para que possamos fazer uma análise mais criteriosa, aprimorar a percepção nos detalhes e extrair novas ideias e refinamentos para seu hidromel, no caso de produzir o seu próprio em casa. Obviamente que não precisamos realizar uma prova técnica a cada gole do seu hidromel, mas é importante que ao menos em algum momento você faça uma análise mais aprofundada da bebida que tem em mãos antes de relaxar e apreciar da maneira que mais lhe agradar.

Ambiente

Idealmente falando o ambiente deveria ser um lugar tranquilo, com boa iluminação, luz preferencialmente branca ou neutra, que influencie o mínimo possível na cor do hidromel a ser provado. Ausência de odores também é muito desejável, e quando souber de antemão que vai para uma prova técnica evite usar você próprio perfumes fortes que atrapalhem na hora de provar o seu néctar.

Taças

Tenha preferência por taças o mais transparente possível, cristal seria o ideal, mas um vidro bem trabalhado também pode funcionar muito bem. Vou colocar uma lista com as taças mais recomendáveis para cada tipo de hidromel, mas notem, que para degustações existe um modelo de taça usada no mundo dos vinhos chamada Taça ISO que é perfeita para degustar todos os estilos. Mas ainda assim segue a lista com os modelos:

  • Melomeis intensos secos e fragrante: Taça grande, bojo mais largo e boca mais estreita (taça para vinho Bourdeaux);
  • Melomeis leves secos (ex: Melomel de Mirtilo): Taça arredondada com grande bojo e boca estreita (taça Baloon). Esta taça serve para bebidas de aromas mais delicados em geral, em que o teor alcoolico não fique acima de 15,0%;
  • Melomel Cítrico: As mesmas taças de vinhos brancos. Taças menores mas com o mesmo formato da taça para Bourdeaux;
  • Hidromel Tradicional seco: A mesma acima;
  • Hidromeis Doces em Geral: Taça Sauternes. Este modelo foi criado para privilegiar bebidas adocicadas.

Temperatura

Para degustação tenho tido melhores resultados com meus hidromeis entre 14 -18°C.

Anotações

É sempre importante ter uma caderninho, ficha, pedacinho qualquer de papel, software que seja, onde se possa anotar as impressões que foram obtidas dos hidromeis degustados para futuras referencias. Isso ajuda a criar um banco de dados confiável.

Procedimento

A primeira coisa a se fazer em uma prova técnica é analisar a cor o aspecto visual. Olhe a limpeza do hidromel, o cuidado que o produtor teve em sua clarificação. Transparência e brilho são fundamentais no aspecto visual do produto, um brilho intenso também pode ser resultado do uso de algum produto mais oleoso na composição da receita. Por exemplo: Coco in natura. Depois gire o hidromel dentro da taça e olhe para as paredes dela. você verá algumas gotas que começarão a escorrer pela lateral da taça. Essas “lágrimas” nos contam que:

  • Se forem lentas, espaçadas e grossas o nível de alcool é mais elevado e o hidromel é mais corpulento
  • Se forem rápidas, juntas e finas o hidromel tem um corpo mais leve

Olhe também com atenção para as nuances de cor do seu hidromel. Nos vinhos a cor nos conta muito sobre a idade do mesmo, o que não pode ser feito no hidromel a não ser que se conheça o histórico dele e a composição de sua receita.

Após a análise visual vamos para a análise olfativa. Aqui devemos literalmente colocar nosso nariz dentro da taça. O que se deve procurar nos aromas é a sua diversidade. Quanto mais rico em nuances, intensidade, duração e evolução melhor o produto que tem em mãos.

A próxima parte é a análise gustativa. Aqui devemos colocar um gole de tamanho médio na boca e fazer com que o líquido “passeie” por toda a boca. Diferentes áreas da nossa boca nos dizem coisas diferentes sobe os alimentos e/ou bebidas que provamos. A acidez é percebida no canto posterior da língua e causa a mesma sensação que temos ao tomar um copo de limonada sem açúcar. Os taninos, responsáveis pela adstringência, são melhor sentidos nas gengivas, dando a mesma sensação de que comemos uma banana verde. Temos também o calor provocado pelo alcool, que aparece geralmente logo após engolirmos o líquido. O alcool quando em excesso também pode causar uma falsa sensação de doçura. E claro temos que prestar atenção aos sabores, suas variações, evoluções, potencias, etc. Mas para medir a qualidade da elaboração do hidromel os pilares: Acidez, taninos (quando presentes) e alcool tem que estar em harmonia, nenhum dos três pode estar se destacando demais frente aos outros. Quando mais integradas estes componentes melhor o hidromel como um todo.

Por último assim que engolimos nosso hidromel, devemos prestar atenção na permanência dos sabores em nossa boca. Quanto mais duradouro os aromas e sabores melhor a bebida.
Nota

Estas são técnicas visando uma análise técnica do hidromel e também pode ser aplicada a outras bebidas como o vinho por exemplo. No dia a dia e, principalmente, nos momentos de descontração, não precisamos tomar nossos hidromel seguindo essas técnicas. Devemos sim, talvez, colocar nosso hidromel em um bom copo feito de chifre ao estilo Viking e tomar com muita vontade e saudar aos Deuses por este presente aos homens!



Categorias:Hidromel

Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

2 respostas

  1. Meu caro amigo, terminei o processo de fermentação do meu hidromel e coloquei para envelhecer, só que reparei que depois de uns 5 dias tava gerando muita pressão na garrafa ou seja não consegui tirar todo o fermento so q eu já fiz de tudo já passei no coador já passei no filtro de papel nao sei mais o que fazer, poderia me dar alguma dica?
    Abraços

    Curtir

  2. nao sei porque todo hidromel que tenho produzido tem oxidado ficado com um gosto muito alcoolico mesmo no começo , sera que e por causa do airlock de camisinha que eu usei que não ta protegendo do ar? e parece que ta sempre ficando com o mesmo gosto sera que e por causa do fermento fleischman?

    Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s