Hidromel · Receitas Antigas

Hidromel Medieval VI – Lady Vernon´s Metheglin Branco

Olá a todos!

Mais uma receita tirada dos livros antigos.  Essa receita vai ficar mais parecida com a tradicionalíssima JAOM (veja aqui), mas tem alguns extras sobre esta. Acho que vale uma tentativa para quem gosta de hidromeis mais carregados em ervas e especiarias.

Outra coisa importante é que esse seria um hidromel bem leve. Deve terminar em uma graduação alcoolica bem baixa, eu sugeriria essa receita para servir gelada, junto com a sobremesa ou com um  prato principal mais leve, como peixe ou aves com ervas,

Vamos a receita?

Ingredientes:

  • 11,36 litros de água mineral
  • Cravos
  • 1,14 litro de mel
  • raiz de gengibre
  • casca de limão e de laranja
  • canela em pau
  • 1 noz moscada
  • 3 punhados de Tomilho e de Alecrim

Preparo:

Pegue a água (água da chuva é melhor) e ferva com o tomilho e alecrim, três punhados de cada. Depois coloque para esfriar e coe as ervas. Quando frio coloque o mel e mexa bem então coloque a nóz-moscada, a canela, os cravos e o gengibre, as cascas de algumas laranjas e limões. Então ferva e tire bem toda a espuma conforme for aparecendo. Então coloque seus temperos e teste com um ovo, quanto mais forte for mais tempo irá durar. Se for beber logo passe para garrafas e arrolhe. Você pode ainda passar fermento na rolha e então deixe o líquido tocá-la, estará pronto para beber em 3 ou 4 dias.

Original em inglês arcaico: The Closet of the Eminently Learned Sir Kenelme Digby Kt. Opened. Little Britain. London, 1669

     Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidromeis

5 comentários em “Hidromel Medieval VI – Lady Vernon´s Metheglin Branco

  1. desculpe o incomodo, fiz um hidromel com 3,5 litros de agua, 500 ml de mel e fermento biológico 7 gramas.
    fermentou durante um mês, na segundo transferencia de recipiente ja esta quase 100%.
    mas o gosto ficou muito fraco puchando para um espumante. isso é normal?

    ja agradeço a atenção prestada a mim.

    1. Olá Anderson,

      No caso da sua receita acredito que seja normal sim. A proporção utilizada normalmente e a grosso modo, é 25% mel para 75% água e você usou bem menos que isso. Então ficar fraco é esperado. Sobre o sabor, vai fazendo as trasfegas que logo que estiver bem limpinho você vai descobrir o verdadeiro sabor dele.

      Atenciosamente,
      Luis Felipe

  2. Olá, eu não entendi essa parte do final: “Então coloque seus temperos e teste com um ovo, quanto mais forte for mais tempo irá durar”. Não sei se você entendeu também por ser uma tradução.

    1. Boas José!

      Como eu geralmente digo ao final destas traduções de textos antigos, eu os traduzo usando os termos e técnicas do período. Nesse caso “testar com um ovo” é o seguinte: Antes do densímetro ser uma ferramenta acessível e difundida, costumava-se utilizar um ovo para medir a densidade do mosto. Como? Colocava-se o ovo mergulhado no mosto e analisando o quanto dele ficava para baixo da superfície tinha-se uma noção da quantidade de álcool potencial. É muito arcaico e subjetivo, mas era o que eles tinham na época. Existia até uma “medida padrão” que era quanto a parte visível do ovo para cima do mosto correspondesse ao tamanho de uma moeda da época então considerava-se que o mosto estava no ponto! Essas explicações, dentre outras, constam nos primeiros posts de receitas medievais.

      Agora pegando a frase toda: “Então coloque seus temperos e teste com um ovo, quanto mais forte for mais tempo irá durar”. Significa que quanto mais temperos e maior a densidade do mosto, maior será o tempo de vida do hidromel, pois o mesmo terá mais álcool e as ervas ajudam a manter o aroma mais presente mesmo em uma bebida um pouco mais velha.

      Espero que tenha ajudado.

      Abraço,
      Luis Felipe – Pompeia Hidromeis

Deixe uma resposta