Receita: Valhalla Vanilla Metheglin

Se tem uma coisa que adoro é procurar receitas interessantes para testar e principalmente receita elaboradas ou que tragam algum aspecto interessante, que agregue alguma coisa na produção. Estes dias encontrei esta receita e adorei. Na verdade estou quase colocando uma amostra (5L) para fermentar!!

É um hidromel de sobremesa (graduação alcoólica mais alta e adocicado), que prima pela simplicidade mas excelente composição. Parece ter um equilíbrio final excelente.


Notar que esta receita é para uma quantidade um pouco grande, porém vocês podem diminuí-la ou aumentá-la conforme o desejo de vocês, só fazê-lo proporcionalmente. Cuidado com o uso de temperos, especialmente a baunilha, pois um pouco  a mais na quantidade ou no tempo e o hidromel fica sobrecarregado.

Outra coisa muito interessante desta receita é o uso de sucos de frutas para compor os ácidos do mesmo. Achei muito mais interessante do que usar químicos para a correção, não que eu seja contra, apenas prefiro evitar por preferir uma abordagem mais natural.

Notem que para cada suco adicionado pretende-se adicionar um ácido diferente ao mosto, e assim é melhor pois cada ácido causa um efeito levemente diferente no hidromel.

Talvez este receita se mostre um pouco difícil para começar a fermentar pois o mosto tem uma gravidade inicial alta. Talvez uma alternativa seja colocar uns 70% do mel no começo do processo e assim que a gravidade abaixar bem coloca o restante do mel, sem nunca sobrecarregar as leveduras dessa maneira.

Essa receita foi elaborada para quem ainda não tem todo o equipamento para produzir o hidromel, principalmente o densímetro e irá trabalhar os processos de maneira mais intuitiva. Se tiver densímetro a densidade inicial devera ser de 1.130 e o controle do final da fermentação deverá ser feito usando o densímetro para saber quando realmente acabou de fermentar.

Ingredientes:

  • 11,34 kgs de mel (ou mel suficiente para uma densidade de 1.130)
  • 1/2 baga de baunilha de Madagascar
  • 10 allspice (Piementa Jamaica)
  • 4 cravos
  • 1 canela em pau de 10 cm
  • 180 ml de suco de laranja coado (para acido cítrico)*
  • 180 ml de suco de maça coado (para acido málico)*
  • Água de qualidade suficiente para completar 20 litros
  • Leveduras Lalvin K1-1116
  • 8 gramas de nutrientes para leveduras.

* Se usar suco comprado evitar os que contenham conservantes na composição, pois podem impedir a fermentação.

     Preparo:

     Em um ambiente bem limpo , mistura a água e o mel em um balde fermentador – se o mel estiver cristalizado, aqueça em banho-maria para que volte ao estado líquido, mas não deixe esquentar muito, até uns 40 graus no máximo – até que tenha diluído por completo, então mexa bem com a colher grande atóxica.

Adicione a pimenta da jamaica, canela e cravo, suco de maça e de laranja no mosto. Para as especiarias eu sugiro esmagá-las levemente com um pilão e dar uma leve aquecida nas mesmas em uma panela ou frigideira para ajudar a liberar os aromas. A baunilha adicionaremos mais adiante no processo.

Agora é hora de adicionar as leveduras, lembre-se de seguir o procedimento correto de reidratação das leveduras (veja aqui).

Adicione 3,2 gramas de nutrientes no mosto. Basta diluir em água sanitizada e adicionar. Guarde o restante do nutriente.

Feche seu fermentador e use um airlock para garantir uma saída do CO2 gerado pela .

Com o mel diluído na água, os nutrientes e leveduras corretamente adicionados, a fermentação iniciará.

No segundo dia, usando uma colher grande e devidamente sanitizada, movimente o mosto com movimentos circulares para remover o CO2, isso deve ser feito duas vezes durante o dia e feito com cuidado, lentamente, pois como temos uma enorme quantidade de CO2 dentro do mosto existe a chance de a efervescência fazer derramar hidromel, principalmente em receitas com frutas como esta. Após, adicione mais 1,6 gramas de nutriente.

Repita o processo de remoção do CO2 até o quinto dia, duas vezes por dia.

Quando estiver no 6º dia, remova novamente o CO2 e adicione mais 1,6 gramas de nutrientes. Remova o CO2 mais dois dias, até o 8º dia e depois pare.

Remova novamente o CO2 no 12º dia e depois não mexa mais no mosto, pois isso pode causar problemas  em relação ao contato com o oxigênio que levará a oxidações ou ainda contaminações.

Quando você perceber que não há mais nenhuma atividade fermentativa (sem bolha no airlock, e sem nenhuma efervescência no mosto) por mais de 5 dias, espere mais 3 dias e então faça a primeira trasfega. Quanto fizer isso cuidado com o contato com o oxigênio e deixe o máximo de sedimentos para trás, haverá uma camada de lama no fundo do fermentador e queremos que essa fique para trás para ser descartada.

Após a primeira trasfega adicionar a baunilha cortada ao meio no sentido do comprimento. Monitorar o mosto atentamente após a adição da baunilha, tire amostras regulares e tire a baunilha quando estiver no ponto que achar interessante.

Assim que acumular mais uma camada de levedura no fundo do novo fermentador você fará uma nova trasfega e repetirá isso até que não haja mais nenhuma turbidez no seu hidromel. Isso pode levar meses a fio para ser bem-feito .

Após a clarificação estar completa é hora de e deixar seu hidromel maturar  pelo tempo que desejar.

    Lembre-se que este é um hidromel vivo e intenso. Excelente para acompanhar sobremesas após as refeições ou ele mesmo ser a sobremesa.
Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidromeis
Problemas na fermentação do hidromel? Clique aqui para ver o que fazer!


Categorias:Receitas

Tags:, , , , , , ,

9 respostas

  1. Maravilhosa receita, estou pensando em fazê-la em pequena quantia !! Realmente começa muito pesada !! O toque de laranja sempre tráz um gosto bom ao hidromel !! Abraços

    Curtir

  2. Parece que tem algo errado, pois é um hidromel de sobremesa, mas 11 kg de mel pra 90 litros de água, dá hidromel seco de uns 5% de graduação alcoólica.

    Curtir

  3. Caramba! Essa receita parece incrível! Vou começar a faze-la assim que as leveduras chegarem! Mas eu tenho uma duvida… pretendo fazer apenas 5L, como teste, em primeira instancia. Quanto colocaria da baunilha? Uma fração dela mesmo? Ou ela inteira, só que por menos tempo?

    Curtir

  4. Pra quantos litros é essa receita?

    Curtir

Trackbacks

  1. PH e Acidez no Hidromel | Pompeia Hidromeis
  2. Artigos Revisados II – Pompeia Hidroméis

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s