Receita de Hidromel Medieval III

     

     Olá Pessoal! Mais uma boa receita de hidromel medieval retirada do mesmo livro de Sir Digby de 1669. Aproveitem!

      Um Excelente hidromel Branco

      Ingredientes:

  • 3,79 litros de mel
  • 15,14 litros de água
  • Canela a gosto
  • Gengibre a gosto
  • Casca de Limão a gosto
  • Cravos a gosto
  • Noz-moscada a gosto
  • Fermento

     Preparo:

     Pegue o mel e a água, misture e ferva tirando a espuma que se formar até que acabe toda a espuma; coloque os temperos levemente macerados. As proporções devem ser mais canela, pouco gengibre, um pouxo de nóz-moscada, e bem pouco de cravos. Ferva mais um pouco e coloque em um contenedor de madeira e deixe ficar morno, o que pela quantidade deve levar cerca de quatro a seis horas.

       Coloque o fermento e deixe o mesmo trabalhar por pelo menos doze horas tapado com um pano. Coloque o restante dos ingredientes e deixe de uma semana a dez dias e então engarrafe. Você pode bebê-lo depois de dois ou três meses, mas será melhor dentre após um ano.

      Notas da Pompeia Hidromeis:

  • Na receita, o autor não estabelece quantidades para a maior parte dos ingredientes, estabelece no texto apenas as proporções entre alguns deles. Então coloque as quantidades com cuidado.
  • O texto também diz para engarrafar muito rapidamente. O que obviamente não daria tempo para as trasfegas e um bom clareamente. Sem contar o risco de autólise.
  • O autor também remete no texto ao uso do feremento natural passado em uma fatia de pão e colocada no mosto. Obviamente hoje em dia (a não ser que você queria seguir a risca!) vamos usar um fermento próprio. Eu sugeriria o K1-1116 da Lalvin.
  • Eu realmente gostei muito desta receita. Tem jeito de ser um Metheglin bem interessante e que pode ser muito agradável nos dias de hoje. Posso dizer que vou fazer um teste com esta receita.

     Original em inglês arcaico: The Closet of the Eminently Learned Sir Kenelme Digby Kt. Opened. Little Britain. London, 1669

     Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidromeis



Categorias:Hidromel, Receitas Antigas

Tags:, , , , ,

8 respostas

  1. Luis, gostaria que assim que possível respondesse meu email sobre fermentação natural, pois tenho algumas dúvidas, e gostaria de saber também se existe a possibilidade de comprar algumas garrafas de Hidromel com você, para que sejam enviadas pelo Sedex para Belo Horizonte.

    Obrigado

    Abraço

    Curtir

    • Oi Jean!

      Cara eu achei que tinha te enviado o e-mail, pois o escrevi e não vi que tinha dado erro no meu gerenciador de e-mails. Desculpe.

      Você pode sim fazer massas de pizza com fermento natural. É só substituir parte da farinha usada na receita pelo fermento natural em cerca de 1/4 do volume e se achar que cresceu demais é só diminuir um pouco a proporção.

      Quanto a venda: eu vendo todos eles a R$ 30,00, mas no momento estou sem nada para venda, pois a venda desse começo de ano foi muito boa (uhuuu!) e fiquei só com umas poucas garrafas para mim mesmo. Vou ter mais hidromeis em quantidade apenas em cerca de 3 meses… Assim que os tiver lhe mando um e-mail e posso sim mandar via Sedex!

      Abraços,
      Luis Felipe Moraes – Meadmaker
      Pompeia Hidromeis

      Curtir

  2. OLá, como seria essa forma de fermentação natural com pão? no texto fica entendido que é fermento fresco passado em uma fatia de pão francês e jogado dentro do fermentador. é isso mesmo?

    Curtir

  3. Tenho uma duvida sobre essas receitas antigas, falasse para engarrafar depois de 10 dias mas só beber depois de 3 meses, a ideia desse processo é que a fermentação continue na garrafa?

    Curtir

  4. Olá! Luiz, eu posso usar o levain (Pasta Madre) como fermento para o meu hidromel?
    Qual a quantidade de levain para 3 litros de água e 1litro de mel?

    Obs: Tenho uma duvida em relação a medida do mel: o mel das receitas é no litro ou no peso que em media é 1,645g/l?

    Att,

    Helder Silveira

    Curtir

    • Salve Helder,

      A levedura criada para a pasta madre está adaptada para fermentar os açúcares presentes na farinha de trigo não os do mel, logo não temo suma colônia adequada para a tarefa.

      Curtir

Deixe um comentário!!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s