Limpar, limpar e limpar…

Olá pessoal!

Limpando o fermentador
Limpando o fermentador

      Sabe o que eu considero o segundo ingrediente mais importante do hidromel depois apenas da paciência? A Limpeza! Isso mesmo, a limpeza. Limpar, ou melhor sanitizar, é tão importante que se você tiver uma pequena falha neste quesito você coloca toda a leva a ser produzida em extremo risco de virar vinagre num futuro não muito distante.

     Por Odin! E como proceder então??? Devo lustrar todo meu material?? – Quase isso!

     Vamos ver. Primeiro o que eu devo limpar? A resposta é simples: Tudo o que vai entrar em contado com o mosto (a mistura que vai se transformar em hidromel), baldes, colheres, mangueiras, densímetro, termômetro, panelas, tampas, airlockers, borrachas de vedação, etc. Tudo tem que ser maravilhosamente limpo, qualquer falha nisso traz chances enormes de que alguma cultura bacteriana se instale em seu mosto e coloque todo o seu trabalho daquele domingo de sol a perder.

      Como limpar: Use uma esponja nova de preferência, um bom detergente, água quente (tão quente quanto você consiga aguentar!) para esfregar, água mais quente ainda para enxaguar e água fria para dar o toque final. Nota: Existe um sistema de limpeza americano chamado Three Bucket System (sistema dos três baldes) que segue uma filosofia muito próxima do que disse acima, vale se informar.

      Comece removendo toda a sujeira que você pode ver e depois se preocupe com a “esterilização” dos utensílios.

       Um produto que pode ser muito valioso para isso é o cloro. Aquele mesmo que você usa na limpeza do dia a dia na sua casa, que você usa para desinfetar os legumes. Ele é excelente para sanitização. Só tome extremo cuidado para enxaguar MUITO bem ou você pode acabar matando suas leveduras também. Para usar, dilua uma colher de sopa em um litro de água quente e use essa água para dar um pré-enxágue, depois de uns 30 minutos enxague bastante com água fria para remover todo o cloro presente.

       Existem também produtos específicos no mercado que são feitos especialmente para tratar material usado para fermentação e produção de bebidas em geral. Vale a pena dar uma pesquisada.

      Cuidado com detalhes bobos como usar o densímetro para medir o mosto dentro do fermentador e depois colocá-lo sobre a mesa que não foi sanitizada e depois colocá-lo no fermentador de novo… detalhe, mas que pode arruinar uma leva. O ideal é sanitizar também a pia, mesa, todo o local de trabalho, assim terá mais segurança para trabalhar e correrá menos riscos.

      Uma outra parte da sanitização é a do Mosto propriamente dito. O mel, ou as frutas principalmente, que você adicionou ao seu mosto podem contem também seus contaminantes e precisamos nos livrar deles. Para isso existem basicamente duas maneiras: Uma é ferver o mosto (pasteurizar) e outra é adicionar algum composto químico para sanitização, o mais usado é o Metabissulfito de Potássio – K2S2O5 (Sulfitos).

       Ferver o mosto tem seus contras por fazer o mel perder grande parte de suas proteínas e também alguns compostos responsáveis pelos aromas. Mas em contrapartida não acrescenta nenhum químico ao seu mosto.

      Usar sulfitos é seguro se nas medidas recomendadas (O Ministério da Agricultura estabelece limites de uso) e ajuda sobremaneira a preservar a bebida mesmo depois de muito tempo na garrafa, por outro lado existem pessoas que são alérgicas a sulfitos e nem sempre agrada aos mais “puristas”. O fato é que todo vinho comercial no mundo leva sulfitos.

      Pode-se ainda fazer excelentes hidromeis sem usar nenhum dos dois métodos de sanitização de mosto acima descritos. Eu mesmo produzi quase todos os meus hidromeis sem esses métodos e o resultado pode ser excelente se muito cuidado for tomado ao limpar utensílios e matérias primas.

      Enfim, pessoal, esse é um tema que merece muita atenção de vocês! Preparem-se, gastem seu suor, e tenham uma leva feliz. Vale a pena.

      Saúde!

Luis Felipe de Moraes – Pompeia Hidromeis

36 thoughts on “Limpar, limpar e limpar…

  1. Se o Metabissulfito de Potássio inibe os microorganismos intrusos, corre o risco de inibir a levedura também?

Deixe uma resposta

Theme: Overlay by Kaira Extra Text
Cape Town, South Africa
%d blogueiros gostam disto: